Uberlândia chega aos 132 anos com modernidade e economia sustentável


Completando 132 anos de história, Uberlândia tem sido exemplo de como ser moderna sem deixar de lado suas raízes e progredir com base em uma economia sustentável. Com a política econômica adotada nos últimos três anos, a cidade atraiu mais de R$ 2.6 bilhões em investimentos desde janeiro 2017 até julho deste ano em diversos setores dentro da indústria, do comércio e de serviços, como saúde, financeiro, supermercadista, construção civil, educação, automotivo, alimentação, telecomunicações, energia fotovoltaica, bebidas, hoteleiro, transporte, agronegócio, entre outros. Mesmo diante dos desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus (covid-19), o município tem apresentado fôlego para manter o protagonismo no cenário nacional.

“O nosso compromisso e todo o nosso trabalho são voltados para potencializar a grande vocação da nossa Uberlândia: que é o empreendedorismo por excelência. Temos investido em grandes programas de infraestrutura, como o Uberlândia Integrada, a construção do Sistema de Tratamento de Água Capim Branco, o Escola Bem Arrumada, a modernização do sistema de iluminação pública, entre tantos outros. Portanto, a cidade tem estimulado a cada dia o bem-estar do nosso povo, mediante a geração de emprego e renda”, disse o prefeito Odelmo Leão.

 

Reconhecimento em diversas frentes

A balança comercial de Uberlândia fechou o primeiro semestre de 2020 com superávit de US$ 404,67 milhões. O desempenho foi quase o dobro do resultado obtido no mesmo período de 2019, quando o saldo foi de US$ 227.464.432, indicando um incremento de 78% nas parcerias econômicas com outros países. Hoje, o município é o 5º que mais exporta em Minas e o 43º no ranking nacional (contribuindo com 0,5% de tudo o que o Brasil vende para fora do país).

Com 40,6 megawatts (MW) em potência instalada de energia fotovoltaica, Uberlândia voltou a ocupar o primeiro lugar o ranking nacional de cidades com maior geração de energia elétrica oriunda de fonte solar. De acordo com o relatório publicado pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), com base em dados atualizados no mês de julho pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o município está à frente de capitais como Rio de Janeiro (primeira colocada até então), Fortaleza (CE), Brasília (DF), Teresina (PI) e Belo Horizonte (MG).

Neste ano, o município tornou-se o único do país a estar presente entre os dez primeiros nos rankings nacionais “Serviços de Cidades Inteligentes e “Cidade Amiga da Internet”, organizados pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia, Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil) e a consultoria Teleco. Uberlândia encontra-se à frente de capitais como Fortaleza (CE), Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro (RJ), Porto Alegre (RS) e São Paulo (SP). A cidade ficou em terceiro lugar no ranking final, ao obter a segunda posição na lista de estímulo à conectividade e o sexto lugar na oferta de serviços digitais.

Apenas entre março e julho, 1.496 empresas de pequeno, médio ou grande porte foram constituída – número cinco vezes superior aos 278 encerramentos registrados no mesmo período. As 4.373 formalizações de microempreendedores individuais (MEI) superaram em três vezes as 1.644 baixas de registros na mesma época.

 

Caminhando juntos

Por meio do programa Invista, conduzido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo, a Prefeitura de Uberlândia tem criado e apoiado iniciativas que estimulem o empreendedorismo e a chegada de novos investimentos.

Para além do estabelecimento de empresas vindas de outras partes do país e do mundo, a administração municipal trabalha com uma política de fortalecimento do mercado local, seja por meio de legislações (como as que instituíram o Programa Municipal de Fomento ao Setor Cervejeiro e a redução do Imposto sobre Serviços para empresas de base tecnológica ou mesmo a que atualizou o programa “Inova Uberlândia”, também em apoio de empresas de base tecnológica), seja por ações diretas, a exemplo da construção do primeiro loteamento empresarial público (o Polo Tecnológico Sul), a oferta gratuita de consultoria pelo projeto Agente Local de Inovação (ALI) e a plataforma on-line “Mais Negócio” (com cursos, capacitações e vitrine gratuita para produtos e serviços locais).

A Prefeitura ainda conduz estudos sobre o uso do pó de basalto na melhoria do solo. Rico nesse tipo de solo, de origem vulcânica, o município tem potencial de se tornar um grande fornecedor desse insumo que pode baratear e aumentar a produção agrícola no país.

 

Fonte: SECOM