Taxa de recuperação de pacientes internados por Covid-19 passa de 85%


Dados coletados até 29/09/2020 Fonte: Vigep/PMU

Passados sete meses do início da pandemia por Covid-19 que atinge o país, a taxa de recuperação dos pacientes internados em Uberlândia está em 86,27%, segundo dados da Vigilância Epidemiológica Municipal (Vigep). O levantamento realizado até o final de setembro aponta que, dos 4.268 pacientes internados devido ao novo coronavírus desde março, 3.708 se recuperaram.

Dados coletados até 29/09/2020
Fonte: Vigep/PMU

A taxa de mortalidade do município em decorrência de complicações causadas pelo vírus, de 1,93%, é mais baixa do que os índices apresentados por Minas Gerais e Brasil- que estão em 2,49% e 3% respectivamente.

Dados coletados até 29/09/2020
Fonte: Vigep/PMU

Somando-se aos que passaram por internação aqueles que tiveram sintomas mais brandos associados à infecção pelo novo coronavírus, Uberlândia já tinha 22.171 pessoas recuperadas até 29 de setembro, o equivalente a 76,58% dos casos confirmados desde março. Atualmente, cerca de 6 mil pacientes são acompanhados em domicílio. Até o momento, mais de 111 mil testes de Covid-19 foram realizados pela Prefeitura e em 74% dos casos o resultado foi negativo.

Dados coletados até 29/09/2020
Fonte: Vigep/PMU

“Sabemos que, mesmo com uma alta taxa de recuperação, que supera à do próprio país e do Estado, a preocupação maior é combater a disseminação desse vírus, que pode ser devastador para o ser humano. Mas o uberlandense pode ter certeza que também conta com um serviço de saúde para ajudá-lo. Portanto, temos buscado enfrentar a realidade do novo coronavírus com a mais absoluta seriedade e com o comprometimento de manter o nosso povo em segurança, com um atendimento humano e com o máximo de qualidade possível”, disse o prefeito Odelmo Leão.

 

Qualidade e acolhimento

 O trabalho mais eficiente na identificação de novos casos e a adoção de políticas que assegurem o melhor tratamento possível para a população podem explicar o aumento das chances de recuperação de pessoas que precisam de internação. Tanto que, em agosto, a cidade foi convidada a apresentar parte dessas ações em um encontro virtual do Ministério da Saúde junto à Organização Pan-americana da Saúde da Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil.

No Município, o enfrentamento da Covid-19 envolve medidas de prevenção, tratamento de pacientes, acompanhamento dos recuperados, que em alguns casos precisam passar por algum tipo de reabilitação, e ações de sanitização são realizadas de forma contínua em toda a cidade. Em todas as etapas há práticas de acolhimento, a exemplo da consulta virtual (que oferece orientações médicas a casos suspeitos por meio do Whatsapp, deixando o deslocamento às unidades de saúde para situações emergenciais), do atendimento psicológico pelo Whatsapp e da promoção de encontros virtuais entre internados e familiares.

Atualmente, a Rede Municipal de Saúde conta com leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria exclusivos para pacientes com Covid-19. O atendimento ao público foi ampliado com a reabertura do prédio do antigo Hospital Santa Catarina, que se tornou a unidade Centro do Hospital Municipal, e a instalação do o novo Centro de Internação Missão Sal da Terra na Casa da Fraternidade São Francisco de Assis (popularmente conhecido como Dr. Hansen e localizado no bairro Jardim das Palmeiras). Equipamentos que juntaram forças com o Hospital Municipal.

Cápsulas respiratórias, que evitam a intubação precoce de pacientes, e outros equipamentos de suporte (como respiradores e ventiladores pulmonares microprocessados) foram adquiridos, bem como medicamentos que podem ser aliados no tratamento. Testes rápidos foram adquiridos com recursos próprios e até um laboratório foi contratado pelo Município para intensificar o trabalho de identificação de novos casos.

“A testagem em massa – que procuramos promover não só em quem procura diretamente as unidades de saúde, mas também por meio de ações como a disponibilização do serviço em mutirões com drive-thru e apoio nas instituições de longa permanência de idosos – tem se mostrado um importante aliado especialmente no diagnóstico de pacientes assintomáticos e, consequentemente, no mapeamento da doença na cidade. Fazendo com que, dessa forma, possamos pensar políticas melhores e cada vez mais eficientes de reduzir a propagação do vírus”, explica o secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues.

 

Apoio após internação

Além de trabalhar com prevenção e no atendimento dos diagnosticados com o vírus, a Prefeitura de Uberlândia ainda desenvolve ação para o pós internação por meio do Programa de Reabilitação Cardiorrespiratória, realizada chamada Síndrome pós-Covid. Trata-se do Programa de Reabilitação Cardiorrespiratória, que já beneficiou vários pacientes no Ambulatório de Oxigenoterapia em parceria com o Programa Melhor em Casa, localizado no bairro Planalto, pacientes com chamada Síndrome pós-Covid são atendidos duas vezes por semana por uma equipe multidisciplinar formada por fisioterapeuta, enfermeiros e pneumologistas.

Outra iniciativa é o projeto “Alta Responsável”, que envolve equipes multiprofissionais das Unidades de Atendimento Integrado (UAI) dos bairros Pampulha e São Jorge, juntamente aos profissionais das unidades básicas de saúde do setor sul. O trabalho consiste em oferecer um acompanhamento amplo e permanente aos pacientes que estiveram internados nas unidades e receberam alta hospitalar, criando-se um plano de cuidados para que a pessoa siga as recomendações após a alta.

 

Fonte: SECOM