Prefeitura aprova revisão do Plano Municipal de Saneamento


Decreto publicado no Diário Oficial estabelece diretrizes do saneamento básico em Uberlândia para os próximos 20 anos

O prefeito Odelmo Leão aprovou, por meio de decreto publicado no Diário Oficial do Município, a revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB)O documento apresenta diretrizes do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) com o objetivo de estabelecer as ações que vão nortear o serviço de saneamento em Uberlândia nos próximos 20 anos.

O plano visa garantir a segurança hídrica do município, aliada ao desenvolvimento econômico e a preservação do meio ambiente.  Trata-se do principal instrumento para implantação de políticas no setor de saneamento e apresenta um conjunto de benefícios para a população relacionados ao fornecimento de água, tratamento de esgoto, manejo dos resíduos sólidos, drenagem pluvial e educação ambiental.

Entre as diretrizes, está a expansão da infraestrutura e a melhoria da operação dos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário, mantendo o atendimento pleno da demanda para os próximos 20 anos e reduzindo as perdas do sistema de abastecimento. O plano, que é o instrumento norteador das ações de curto, médio e longo prazo da autarquia, foi elaborado pela Comissão Executiva do Dmae e aprovado pelo Comitê Técnico de Regulação dos Serviços Municipais de Saneamento Básico (Cresan), sendo revisto a cada quatro anos.

O Plano Municipal também prevê a modernização tecnológica relacionada à autossuficiência, sustentabilidade energética e à estruturação dos serviços de drenagem pluvial, relacionados ao planejamento e gestão. Além da ampliação gradativa da coleta seletiva em Uberlândia, alcançando 100% de cobertura na zona urbana.

Pioneirismo

Uberlândia foi a primeira cidade de Minas Gerais a implantar o plano, instituído pela Lei nº 11.291/2012 (durante a segunda gestão do prefeito Odelmo Leão). Na época, a iniciativa não se restringiu às áreas de abastecimento de água e esgoto e incluiu a limpeza urbana e o manejo de resíduos sólidos, além de drenagem e manejo de águas pluviais.

Fonte: SECOM