Home / Notícias / Prédio do antigo Santa Catarina será desapropriado e pertencerá à saúde pública do município

Prédio do antigo Santa Catarina será desapropriado e pertencerá à saúde pública do município


Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura de Uberlândia tem trabalhado para oferecer atendimento às pessoas que necessitem de cuidados mais intensivos. Por isso, desde abril, tem utilizado da antiga estrutura do Hospital Santa Catarina como anexo do Hospital Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro. Devido à sua extrema necessidade pública no atual cenário, o prefeito Odelmo Leão assinou, nesta quarta-feira (8), o decreto que declara de utilidade pública o prédio do antigo hospital. Na prática, a medida dá início ao processo de desapropriação do imóvel para que o Município utilize de forma permanente e consolidada o local como unidade de saúde pública.

Atualmente, o local tem 84 leitos de enfermaria e 30 de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), totalizando 114 leitos específicos para o tratamento da Covid-19. Em breve, mais dez leitos de UTI estarão disponíveis e mais outros 16 poderão ser abertos. A iniciativa faz de Uberlândia um dos poucos municípios do país com oportunidade de abrir um hospital com estrutura superior ao tratamento da doença em vez de ter que improvisar uma estrutura de campanha.

“Nós entendemos que, mesmo após a pandemia, esta estrutura hospitalar não pode ficar desativada novamente. Ocupamos de forma temporária para o tratamento exclusivo da Covid e queremos que ele fique à disposição do povo de Uberlândia no futuro, sendo uma extensão do Hospital Municipal no tratamento de outras doenças. Com isso, somando a capacidade do Municipal com os leitos do Anexo, teremos 350 leitos públicos na cidade”, destacou o prefeito Odelmo Leão.

O prédio do antigo Hospital Santa Cantarina estava fechado há quatro anos e dispunha de uma estrutura significativamente mais apropriada e eficiente do que um hospital de campanha, que é, em sua concepção, uma unidade médica temporária com leitos de enfermaria.

 Com a liberação inicial para utilização do espaço privado, o Município realizou reparos estruturais, elétricos e nos equipamentos indispensáveis para o funcionamento das UTIs, como respiradores, monitores, raio-x portátil e toda a central de gases (oxigênio). Assim, todos os leitos contam com ventiladores, além de uma reserva técnica determinada em lei. Também houve o reparo do aparelho de tomografia, que é fundamental para avaliação dos casos de Covid-19.

O prédio também foi repensado para tratar os pacientes de forma vertical. Ou seja, em casos de epidemia e pandemia, os pacientes mais graves vão para a UTI no andar mais superior e, à medida que houver evolução na melhora do quadro, são transferidos para os andares inferiores até receber alta. Essa estratégia facilita inclusive para os trabalhos de desinfecção da unidade.

Com um setor específico para atender pacientes com Covid-19, a Prefeitura de Uberlândia consegue oferecer mais qualidade no atendimento, com estrutura hospitalar de alto nível, e libera leitos do Hospital Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro para receber pacientes com outras patologias.

 Amplo acolhimento

Outra possibilidade para garantir que a população de Uberlândia tenha atendimento para tratamento da Covid-19 é utilizar as salas com pressão negativa da enfermaria do Hospital Municipal. A Prefeitura de Uberlândia já equipou estas salas com respiradores e monitores para, caso seja necessário, continue ofertando assistência de UTI para os pacientes.

Estas salas são específicas para o tratamento de pessoas com doenças infectocontagiosas, já que é feito um controle do ar ambiente, evitando a transmissão de vírus ou bactérias para outros setores da unidade hospitalar.

Fonte: SECOM


Publicado em: 08/07/20
Subir

Fique por dentro

de tudo o que fazemos pela cidade.

  • Acompanhe