Cerca de 60% do túnel subterrâneo a seis metros abaixo do nível do Anel Viário Leste que integra o Sistema Capim Branco está concluído


Uma das ‘obras de arte’ da engenharia civil que integram o Sistema Capim Branco de Produção de Água está em fase adiantada com 58,17% concluída. O túnel subterrâneo sob o Anel Viário Ayrton Senna, setor Leste, no cruzamento com avenida Pau Furado já conta com mais de 50 metros escavados de um total de 87 metros. O dispositivo vai servir de passagem para a tubulação, levando água tratada até o reservatório do Custódio Pereira para depois ser distribuída às residências.

A obra é executada por etapas. Inicialmente, foi feita a preparação do terreno, seguida pela abertura de um ponto de apoio por onde começa a escavação e a colocação de placas de aço. A construção está a seis metros abaixo do nível da pista e terá uma extensão de 87 metros, um diâmetro de 3.000 mil mm e vai contar com uma adutora de 1.900 mm.

O dispositivo que está sendo implantado sob a rodovia é do tipo Tunnel Liner, instalado por meio de método não destrutivo, sem interromper o tráfego nem interferir na pavimentação. A mesma tecnologia foi utilizada há cerca de dois anos, em uma extensão de 26 metros no início da construção da adutora de água tratada, no trecho sob a Ferrovia Centro Atlântica (FCA), próximo ao bairro Custódio Pereira.

De acordo com a diretoria técnica do Dmae, a tecnologia não destrutiva está em uso no Brasil há mais de 20 anos e traz como benefício o acesso a adutora em caso de manutenção, não sendo preciso fazer intervenções no tráfego da rodovia.

O Sistema Capim Branco conta com duas adutoras, uma de água tratada com extensão de 15,5 km, responsável pelo transporte da água da Estação de Tratamento (ETA) até o reservatório do Custódio Pereira. A outra tubulação é de água bruta com extensão de 4,5 km, localizada na margem da estrada rural da Tenda do Moreno, que fará o transporte de água da represa de Capim Branco até ETA. Na primeira etapa, a produção de água será de 2 mil litros/segundo.

O projeto começou a ser idealizado em 1995, sendo retomado e financiado em 2012. As obras seguem em estágio avançado com a parte civil praticamente concluída. O investimento da primeira etapa, cuja previsão de entrega é em 2020, é estimado em aproximadamente R$ 336 milhões, financiados e repassados em parcelas pela Caixa conforme o andamento dos trabalhos.

 

Fonte: SECOM