Capim Branco conta com processos de automação na captação, produção e distribuição de água


O Sistema de Água Capim Branco, em construção na região de Tenda do Moreno, vai contar com tecnologia de ponta em automação tanto nos processos de captação, quanto produção e distribuição de água. Um dos maiores desafios para o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) nesta implementação é conectar todos os equipamentos localizados nas unidades, como motores, válvulas, comportas, sensores de pressão, sensores de nível, entre outros. Esta tecnologia faz isso, propiciando transparência da planta aos operadores, tornando mais rápido e seguro as ações necessárias para manutenção das atividades da produção de água.

No Capim Branco, o sistema de automação será composto por cinco Controladores Lógicos Programáveis (CLPs), responsáveis pelo monitoramento e controle da Estação de Tratamento de Água (ETA), dos níveis dos reservatórios, vazões de entrada e saída, controle dos filtros e bombas de dosagem. Também será responsável pelo controle e monitoramento das bombas localizadas na captação de água bruta e na elevatória de água tratada, responsável pelo bombeamento da água até a caixa de transição. O sistema conta ainda com dois CLPs, um na subestação de energia elétrica e outro na Unidade de Tratamento de Resíduos.

De acordo com a diretoria técnica do Dmae, além da otimização da operação, os dispositivos contribuem para a redução da demanda energética que é o maior dispêndio das companhias de saneamento, bem como redução de manutenção e aumento da vida útil dos equipamentos.

Os processos de automação serão interligados ao já existente sistema de telemetria do Dmae, que receberá as informações tanto para o controle local, quanto para a Central de Controle de Processos (CCP).  Essa característica minimiza o tempo de reação a incidentes, proporcionando tomada de decisões operacionais com rapidez e precisão.

 Operação

 A conclusão da obra e a fase de pré-operação (com duração de seis meses) ocorrerão no segundo semestre de 2020. Esse novo prazo foi estabelecido após a pandemia da Covid-19, que exigiu alguns ajustes no cronograma das obras para atender os requisitos de segurança das equipes que trabalham no sistema.

Após a conclusão da primeira etapa do sistema Capim Branco, aliado aos Bom Jardim e Sucupira, Uberlândia terá capacidade para fornecer água para 1,5 milhão de habitantes. O investimento da primeira etapa será de aproximadamente R$ 336 milhões, financiados e repassados em parcelas pela Caixa conforme o andamento dos trabalhos.

Fonte: SECOM